sábado, 26 de maio de 2012

De orquídeas à "Bons Tempos"

Olá! Como vão vocês? Lembram quando eu disse que era uma pessoa privilegiada? Fiquei devendo o restante da história do porquê do meu amor por orquídeas (e flores e animais em geral). Tive o privilégio de morar perto do Orquidário de Santos por anos, no tempo em que não era perigoso uma mocinha de 14 anos estar em um lugar cheio de árvores e bons esconderijos... Segurança? Pouquíssima! Talvez uns dois ou três guardas e os funcionários que cuidavam daquele belo jardim. Tinha até macacos, antas, cotias, patos, flamingos, garças,... Que bom que minha mãe permitia (hoje eu imagino que ela estava pensando também que aquele ar puro iria fazer bem para a minha bronquite) eu todos os dias ir estudar e fazer tarefas da escola em um destes bancos brancos... Posso até sentir de novo (em pensamento) o farfalhar das folhas das árvores ao vento, o perfume das flores, os piados, assovios e outros barulhos dos animais nas matas... Como é que pode? Algumas orquídeas que eu trouxe para casa, me trouxeram lembranças tão especiais e boas e me lembraram que Deus sempre cuidou de mim e estará cuidando... E de você também, viu? Deus te abençoe! Tânia

2 comentários:

  1. Olá Tânia
    Passando para agradecer sua visita e conhecer seu blog...gostei muito !!!!
    Bj
    Nilda

    ResponderExcluir
  2. Olá Tânia, tudo bem?!
    Gostei demais do seu blog!
    Um abraço e fica com Deus!
    Renata Siqueira

    ResponderExcluir