sábado, 9 de abril de 2011

REALENGO...REALENGO...





Eu não queria escrever hoje...
Estou de luto pelas mães de Realengo.
Conheci Realengo há muitos anos atrás: pelas histórias que minha mãe contava,
onde viveu, na fazenda de meu avô, que criava cavalos para a Escola Militar de Realengo...Conheci a fazenda, quando era pequenininha.
Só montanhas, matas, florestas e um gaúcho de Santa Maria, amigo do Getúlio Vargas porém sua neta aqui não gosta de política - cavalos, sim, muito.
Mas hoje de manhã vi pela TV uma Realengo que não existe mais...
Vi muita dor, horror, tristeza... Crianças mortas, e as que sobreviveram - traumatizadas, feridas no corpo e na alma...
Também sou professora, Pedagoga fora de sala de aula depois de muita decepção, com o sistema, a educação familiar, o salário, etc. Família de militares e professoras, como a maioria do Rio de alguns anos atrás... Apesar de ser a
"ovelha negra de família", como minhas irmãs diziam, pois nasci em São Paulo... Uma São Paulo que também não existe mais...
Saudosista, eu? Não! Indignada e triste pois as gerações atuais e futuras têm visto (e participado)de muita violência...
Não sabem o que é empinar pipa sem perigo de ser eletrocutado. Não sabem brincadeiras de rua com medo de serem sequestrados. Não sabem andar de carrinho de rolimã sem serem atropelados. Não sabem e não podem brincar de roda sem bala perdida...
Perdidos estão os que não veem... Que transferem a culpa para a venda indiscriminada de armas (o que não deixa de se UM DOS fatores da violência atual), mas se esquecem que "clikando" em um site qualquer, você que não tem nada pra fazer, pode aprender desde como se faz um bolo de laranja até como jogar um avião sobre um prédio e tantas
"coisas boas" mais...
Lembro claramente quando a televisão chegou ao Brasil, e meu pai: um abastado funcionário público na época pode encomendar uma que (eram importadas). Na sala a criançada toda para ver Dr. Kildare e de repente minha mãe que não era vidente, nem tinha dons espirituais, estendeu o dedo para a TV e vaticinou: "Vocês vão ver o que isto fará com as famílias..." A Internet só veio "aperfeiçoar"...
Não sou contra a TV - eu vejo, sim. E estou usando a Internet agora para desabafar. Sou contra a falsidade, a mentira, o engano, o dinheiro da Educação e Segurança desviado, etc., etc., etc.(como diria You Brinner em o Rei e eu).
Fugi do assunto? Sei lá...
Triste, muito triste... Quando se pensa que já viu de tudo...
E como cristã de verdade, que crê nas palavras de Jesus como verdadeiras, sei que muito mais está por vir, à medida que Ele está voltando como prometeu...
Às mães, pais, irmãos, familiares, amiguinhos, vizinhos, professores, funcionários desta escola e a todo o povo de Realengo, minha solidariedade e amor.
Vou fazer agora o que posso fazer para ajudar - vou desligar a Internet e vou orar à Deus que console todos os enlutados através do Espírito Santo, e também pelas crianças que ficaram feridas no corpo e na alma. Só o Senhor pode curar cada uma destas terríveis lembranças...
Que Deus nos ajude!
Pra. Tânia Guahyba


"Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram" (Romanos 12.15).
"Levanta-te, clama de noite no princípio das vigias; derrama o teu coração como águas diante da presença do Senhor; levanta a ele as tuas mãos, pela vida de teus filhinhos, que desfalecem de fome à entrada de todas as ruas." Lamentações 2:19

"Já se consumiram os meus olhos com lágrimas, turbadas estão as minhas entranhas, o meu fígado se derramou pela terra por causa do quebrantamento da filha do meu povo; pois desfalecem o menino e a criança de peito pelas ruas da cidade." Lamentações 2:11

Nenhum comentário:

Postar um comentário